quinta-feira, 26 de abril de 2012

26 de Abril Dia Nacional da Hipertensão

 
Ministério da Saúde diz que 22,7% dos adultos têm pressão alta.


Dados divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Saúde mostram que 22,7% dos adultos brasileiros sofrem de pressão alta. A hipertensão aparece em 25,4% das mulheres e 19,5% dos homens.

Os números são da pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), que coletou informações nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal.

Em 2006, quando a pesquisa começou a ser feita, 21,6% dos entrevistados afirmaram que tinham o diagnóstico de hipertensão. A diferença de 1,1 ponto percentual não representa tendência de crescimento, pois está na margem de erro estatística.
A relação do problema com a idade fica muito nítida no recorte por faixa etária. Entre 18 e 24 anos, 5,4% dos entrevistados são hipertensos. Acima dos 65 anos, o número sobe para 59,7% da população.


Dentre as cidades onde a pesquisa foi feita, a com menos hipertensos foi Palmas, uma cidade jovem, com 12,9% da população. Já o Rio de Janeiro, onde os dados mostram grande proporção de idosos, registrou o maior número: 29,8%.


Outro fator importante é a escolaridade entre as mulheres. Entre as que estudaram oito anos ou menos, 34,4% têm hipertensão. O número cai para 14,2% entre as que estudaram 12 anos ou mais. Já entre os homens, as diferenças entre as faixas são pouco significativas.


Prevenção e tratamento
O Ministério da Saúde informou que 6,9 milhões de hipertensos já tiveram acesso a medicamentos gratuitos nas farmácias credenciadas no programa Saúde Não Tem Preço desde o lançamento, em fevereiro de 2011.

Outra iniciativa recente foi um acordo com a indústria alimentícia, firmado em 2011, para reduzir os níveis de sal em produtos como massas, pães e salgadinhos. O sódio presente no sal é considerado um dos principais fatores para elevar a pressão arterial. O fumo e o sedentarismo também aumentam o risco.
O diagnóstico de hipertensão vem quando a pressão fica igual ou maior que 14 por 9. Em longo prazo, pode sobrecarregar vários órgãos. Sem tratamento, ela pode causar outros problemas cardiovasculares, como o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC).


Fonte: G1

terça-feira, 17 de abril de 2012

A obesidade e suas causas

A causa da obesidade é multifatorial, ou seja, ela é decorrente de vários fatores que podem estar agindo isoladamente ou em conjunto. Entre esses fatores, está a ingestão aumentada de calorias, diminuição da atividade física, idade, fatores genéticos e emocionais.

A adolescência é o período da vida em que ocorrem muitas mudanças no corpo. É nesta fase que se observa o "estirão de crescimento" caracterizado pelo aumento da estatura acompanhado, muitas vezes, pela diminuição de peso corpóreo. Entretanto, com o aumento da idade ocorre a redução da necessidade calórica do indivíduo, pois, observa-se declínio da atividade física como também alterações na composição corporal caracterizada pela diminuição quantitativa de músculos e conseqüente aumento de tecido gorduroso.


Observa-se também, em as pessoas que apresentam ansiedade, nervosismo ou que estão sob estresse o comportamento compensatório através da alimentação. Assim, enquanto algumas pessoas perdem o apetite outras, apresentam comportamento voraz pelos alimentos.

Há também, doenças relacionadas com hormônios que podem levar ao aumento de peso, se não tratadas. O hipotireoidismo é um exemplo típico. Nele a necessidade calórica torna-se reduzida, pois ocorre a diminuição do metabolismo. 

Além disso, muitos estudos demonstram que a obesidade é hereditária. Isto quer dizer que se você tem histórico familiar de obesidade (pai, mãe) provavelmente você será um adulto obeso.

Assim, quando notamos que está ocorrendo aumento de peso, devemos analisar primeiro se ocorreu alguma mudança no estilo de vida. Será que não se está fazendo menos atividade física do que antes?

Há algum fator emocional que pode estar afetando a alimentação? Ou simplesmente houve um aumento da quantidade a alimentos ingeridos?

Se as respostas não justificam o aumento de peso provavelmente há o fator genético agindo como causa. Mas atenção: ter características genéticas contribuindo para o ganho de peso não dever ser desculpa para não tentar atingir o peso ideal, o qual varia de pessoa para pessoa. Com isso, a adoção de dietas hipocalóricas e o aumento da atividade física tornam-se necessários.

Fonte: CyberDiet

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Frio e calor nas lesões no esporte


É muito importante entendermos as aplicações destes meios terapêuticos, pois não existe verdade absoluta nas indicações de gelo ou calor, o que existe é o momento da lesão e o objetivo pretendido naquele momento.
Fases da inflamação:
A inflamação pode ser dividida em fase aguda, subaguda ou crônica, dependendo da duração dos sinais e sintomas. Tendo a fase aguda desde poucos minutos até poucos dias, subaguda um momento intermédio entre agudo e crônico e a fase crônica com duração de semanas ou meses. A quantidade total de tecido danificado pode aumentar de acordo com o tempo da inflamação.
Ação do frio:
Durante a resposta inflamatória aguda, após a lesão ao tecido, o frio reduz a dor e minimiza uma lesão secundária ao tecido. O alívio da dor se deve mais provavelmente a uma redução da velocidade de condução nervosa.
Qual o momento da lesão para usar o frio:
Nas lesões dos tecidos moles, nos estágios iniciais, ocorrem alterações inflamatórias em uma sequência bem identificada. A gravidade depende da lesão.
No caso de uma lesão aguda, o uso do gelo é indicado por diminuir o fluxo sanguíneo e aumentar a constricção venosa, da área afetada. O resfriamento diminui a taxa de edema e a produção de “irritantes” e desse modo alivia a dor.
A quantidade de dor está relacionada com a velocidade com que ocorrem o edema e a irritação química. A compressão e a elevação do segmento também limitam a formação do edema.
Vaso constricção (diminuição do calibre do vaso sanguíneo) a redução da dor que acompanha o resfriamento, pode dever-se a fatores diretos ou indiretos, como a redução do edema e uma diminuição do espasmo muscular.

Aplicação da Crioterapia em etapas terapêuticas:
Preventivo: prevenir a instalação da tumefações provenientes do esforço.
Anti-inflamatória: prevenir a presença de exudatos e precipitados.
Proliferação: reeducação funcional por movimentos pré-determinados no início da cicatrização para realinhamento nas fibras de colágeno.
Retorno ao esporte: reeducação funcional dos movimentos simulados do esporte.
Anti-recidivantes: evitar reincidência do quadro sintomatológico da lesão.
Ação do Calor:
O uso do calor tem seu efeito fisiológico nas vasodilatações (aumento do calibre do vaso sanguíneo) e consequente constrições reflexas das estruturas acometidas pela lesão, resultando numa diminuição do quadro álgico, desinflamação, relaxamento de estruturas envolvidas e liberação de exudatos presentes dos processos inflamatórios.
Também promove o relaxamento muscular devido ao aumento da temperatura que torna as estruturas elásticas mais maleáveis, por exemplo, um contratura muscular que precisa se alongada.


Fonte: Ativo.com

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Porque é importante um estilo de vida saudável?

Cuidados com alimentação - saudável

Um estilo de vida saudável ajuda a manter o corpo em forma e a mente alerta. Ajuda a nos proteger de doenças, e ajuda a impedir que as doenças crônicas piorem. 


Isto é importante, porque à medida que o corpo envelhece, começa-se a notar alterações nos músculos e nas articulações e um declínio na sensação de "força" física. 


Um estilo de vida saudável inclui a saúde preventiva, boa nutrição e controle do peso, recreação, exercícios regulares, e evitar substâncias nocivas ao organismo.

Um bom estilo de vida deve ser desenvolvido o mais cedo possível em sua vida - quanto mais jovem melhor; estes hábitos devem ser mantidos durante a vida adulta e na idade madura. Fatores modificáveis do estilo de vida são a causa de 50% das mortes (entre as 10 causas mais importantes), incluindo:

- Doenças cardíacas
- Câncer
- Derrame cerebral
- Acidentes
- Doença pulmonar crônica

Nutrição e Controle do Peso

A obesidade é causa de mortes (mortalidade) e de doenças (morbidade):

  • A obesidade aumenta a mortalidade por:
  • Hipertensão arterial
  • Doenças cardíacas
  • Derrame cerebral
  • Diabetes
  • Certos tipos de Câncer
  • Mais de 80% das mortes atribuídas à obesidade ocorreram em pessoas com um índice de massa corporal de 30 ou mais
  • Aumento da Morbidade:
  • Litíase biliar
  • Osteoartrite


Para evitar a obesidade, coma 3 ou 4 refeições balanceadas, pobres em gorduras, e com muitas fibras todos os dias. Procure ingerir bastante cálcio - o cálcio e o exercício ajudam a prevenir a osteoporose. Se você mora sozinho, experimente alimentar-se em um restaurante comunitário, onde você possa conversar socialmente com outras pessoas - desta maneira, com uma companhia, você poderá estar contribuindo para o seu próprio equilíbrio mental.

Todas as vezes que você come mais do que o necessário, o seu corpo irá guardar o excesso em forma de gordura. 

Uma boa dieta é essencial não só para combater as doenças cardiovasculares, mas pode ainda diminuir o risco de vários tipos de câncer:

  • Comer uma grande variedade de frutas, vegetais, grãos integrais, feijões e legumes, incluindo 3 a 5 porções de vegetais e 2 a 4 porções de frutas por dia. Elas podem ser frescas, congeladas, secas ou cristalizadas. 
  • Controle da ingestão de gorduras. 
  • Evitar a obesidade melhorando os hábitos alimentares e participando de atividade física regular. 
  • Limitar a ingestão de álcool, ou evitá-lo. 

Se você sentir necessidade, consulte seu médico para uma orientação específica no seu caso.

Atividade Física

O organismo necessita de atividade física regular (mas não extenuante). Não existe sentido em fazer um exercício exagerado e ter como consequência dores lombares ou uma lesão no joelho.Pacientes mais idosos devem caminhar pelo menos 1500 metros ao dia; faça outros tipos de exercício, se preferir. Também nos grupos de maior idade os exercícios aeróbicos leves são os mais recomendados, e ainda a natação e a dança. Nunca se é velho demais para iniciar uma atividade física regular!

Sugestões para a Prática da Atividade Física

- Para iniciar sua atividade com mais segurança, consulte um médico e/ou um especialista em medicina do esporte;
- Escolha as atividades que você realmente goste;
- Selecione horários e opções compatíveis com seu estilo de vida;
- Nos primeiros meses, objetive valores como prazer, sucesso na realização das atividades, satisfação pessoal etc.;
- Incorpore a atividade física ao seu dia a dia: ande mais a pé, suba mais escadas, pratique mais esportes etc.;
- Se possível, selecione as atividades que possam ser realizadas com seus amigos e/ou família.

Evite substâncias que prejudiquem a sua saúde

Fumar e beber muito são fatores importantes para o surgimento de doenças dos pulmões, coração e circulação, câncer, acidentes automobilísticos, e acidentes domésticos. As drogas são capazes de levar a dependências que podem acabar por levar à deterioração física e mental da pessoa. 




Fonte: Tua Saúde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...